Sinopse  "Já se passaram três anos desde que Mia saiu da vida de Adam. E três anos ele passou se perguntando por que. Quando seus...

[Resenha] Para onde ela foi - Gayle Forman

11 Comments

Sinopse 

"Já se passaram três anos desde que Mia saiu da vida de Adam. E três anos ele passou se perguntando por que. Quando seus caminhos se cruzam novamente em Nova York, Adam e Mia são trazidos de volta para uma noite que poderá mudar suas vidas. Adam finalmente tem a oportunidade de fazer a Mia as perguntas que assombraram ele. Mas será que algumas horas nesta cidade mágica serão o suficiente para colocar o passado para trás? – Você pode realmente ter uma segunda chance no primeiro amor?"

Resenha

Essa resenha contém SPOILER!

Quando eu comecei Para onde ela foi, tive medo! Sim. medo, mais não um medo simples como medo de escuro ou medo de qualquer outra coisa, tive medo de não gosta de não ser tão bom quanto o primeiro e que o fim fosse algo do tipo "ah, só isso".
Devo dizer que amo romances narrados pela parte masculina, e esse é o tipo de romance que se eu tivesse que dar uma nota de 0 a 10 daria 12.
Não, e alem de adorar a narrativa masculina o narrador de Para onde ela foi não é só um homem, e sim um guitarrista que olha... (respira fundo)
Desde o fim de "Se eu ficar" Mia e Adam ficaram separados, sim eu também fiquei chocada, Mia vai para Juilliard e Adam retoma sua vida com a banda. 


"Meu primeiro impulso não é agarrá-la nem beijá-la. Eu só quero tocar sua bochecha, ainda corada pela apresentação desta noite. Eu quero atravessar o espaço que nos separa, medido em passos – não em milhas, não em continentes, não em anos -, e acariciar seu rosto com um dedo calejado. Mas eu não posso tocá-la. Esse é um privilégio que me foi tirado."

 Não sei se mato ou se amo: MIA


Já na metade do Livro, a decisão de Mia me deixou tipo "uma otaria" eu não conseguia entender como ela tinha coragem de largar Adam sem nenhuma explicação, como assim?
Ai notei que o QI da nossa linda Gayle Forman vai alem do que esperava. Mia sofreu uma perda brutal e arrasadora e essa experiência a tornou apenas uma METADE. Ela não queria ficar, ela não queria já que não tinha seus pais nem Teddy (chorei só de lembrar de Teddy), Adam por sua vez teve a brilhante ideia (que mais tarde veio ter o tal lado ruim) de prometer tudo se ela ficasse, ela estava pronta para partir e foi ele quem a puxou de volta. 


Mia se transformou e Gayle concordou com todos os especialista que sempre dizem que "ninguém é metade de ninguém", isso é uma das piores blasfêmias que se ensina a uma mulher romântica. As pessoas são inteiras, são plenas e completas.

Então meus caros leitores minha amiga Gayle nos faz entender que Mia precisava se tornar inteira, ai sim estaria pronta para um romance, pronta para Adam. 


“Nunca disse a Mia o quanto a perda de Teddy me afetou quando estávamos juntos, então não há maneira de que eu vá lhe dizer agora. Eu perdi o meu direito de discutir essas coisas. Eu renunciei – ou fui dispensado – de meu lugar na mesa da família Hall.”

Mia e Adam têm uma noite inteira para se unir, e juntos visitarão os lugares mais inusitados de Nova Iorque. O reencontro deles me lembrou de um antigo filme (que amo demais), em que os personagens se apaixonam por uma noite.
É maravilhoso conhecer o recomeço de Mia e Adam, e se tratando de Gayle Forman o leitor pode esperar nada menos que perfeição. Tudo começa com a leveza do reencontro, do tempo que nada mudou e do amadurecimento que reacendeu a paixão.
Mia e Adam possuem uma linda história. Se você está se perguntando se este livro é um daqueles que começa no “Era uma vez” e termina no “E eles viveram felizes para sempre”, eu respondo que SIM! De uma forma diferente mais SIM!
“Fiz a coisa certa. Sei disso agora. Sempre soube, mas parece tão difícil enxergar atrás da minha raiva. E tudo bem se ela tiver raiva. Tudo bem, até, se ela me odeia. E foi egoísta o que eu pedi que ela fizesse, mesmo que terminasse sendo a coisa menos egoísta que eu já fiz. A coisa menos egoísta que eu tenho de continuar fazendo. Mas eu faria de novo. Faria aquela promessa milhares de vezes e a perderia milhares de vezes para tê-la ouvido tocar a noite passada ou vê-la esta manhã à luz do sol. Ou mesmo sem isso. Só para saber que ela estava em algum lugar aí fora. Viva.”
 * Ai meu coração, já dilacerado, vira pó
 Mais que bom que consegui me recuperar a tempo de ler o final. E que final diga-se de passagem.
Eu nunca teria imaginado, com toda minha fértil imaginação, algo tão puro, simples e tão a cara de Mia e Adam. Gayle mais uma vez nos da uma lição sobre o amor e sobre recomeços de forma mais singela e real que eu poderia imaginar. Só posso dizer que "Para onde ela foi" conseguiu se equiparar a "Se eu ficar" e isso para mim não é pouco elogio. 

Enquanto estava lendo meus amigos olhava e perguntava "Afinal, para onde ela foi?" e hoje posso dizer que, ela voltou para casa. 




Post que você também pode gostar: